• José Augusto Albino

A esteira estratégica agressiva da Salesforce: compra da Slack é uma das maiores M&As no setor Saas

Após dias de rumores, ontem tivemos a oficialização do desejo de aquisição da Slack por parte da Salesforce pelo valor de US$ 27,7 bilhões, se tornando assim, uma das mais importantes M&As do setor de Saas da história. Considerando que ambas empresas fazem parte do portfolio do Newton Tech Fund, avaliamos a operação e, na nossa visão, faz muito sentido por todos os ângulos!


Do lado do comprador, a Salesforce, entendemos que o movimento é totalmente alinhado com a estratégia da companhia. Nosso research proprietário descreveu a estratégia de crescimento da companhia como: "atrair clientes enterprise globais, ao mesmo tempo que vende e implanta novas funcionalidades e produtos nos clientes atuais, gerando um caminho duplo de crescimento". A Salesforce já tem uma carteira entreprise invejável e tem o estado da arte nas áreas de prospecção de novos clientes (hunter, no jargão de Saas) e de venda novas soluções para clientes da base (farmer), que rapidamente farão um deploy do Slack em toda sua carteira de mais de 150 mil clientes, bem como, usará a força do Slack para novos nomes para o portfolio de clientes.


O melhor de tudo é que a Salesforce tem track record de sucesso nesta estratégia, com histórico de acelerar o crescimento de empresas adquiridas, conforme tabela abaixo:

Source: Salesforce


Para a Slack, a lógica é ainda mais sensacional! Do lado do acionista, acreditamos que destravou muito valor, quando o papel vinha apanhando do mercado, com analistas e gestores assustados com o risco do Microsoft Teams tomar mercado do Slack. Para se ter uma ideia, nos últimos 12 meses (antes da oferta de aquisição) a ação estava quase 10% abaixo do índice Nasdaq, enquanto seus pares de Saas, superavam em muito o índice.


Para a empresa, a transação também faz muito sentido. Slack sempre foi o melhor produto do mercado, atraindo uma legião de fãs e usuários engajados, entregando UX e UI extraordinárias e um leque único de integrações. Porém o custo de expandir esta base de usuários (despesas comerciais foram de 64% da receita líquida no último ano fiscal!) e manter o produto no estado da arte ainda é muito alto em relação ao porte da companhia, fazendo com que o resultado negativo e o consumo de caixa ainda estejam elevados.

Na prática, a empresa ainda estava em uma jornada de Venture Capital, consumindo caixa no fundo da famosa Curva J, onde empresas consomem caixa para crescer, e quando atinge uma curva de crescimento exponencial suas despesas são diluídas e a rentabilidade chega. Dentro da estrutura da Salesforce, a sinergia comercial deve permitir a aceleração do crescimento e reduzir o tempo que a empresa ficará no fundo da curva J.


Na nossa visão, a Mark Benioff (fundador da Salesforce) é um dos caras mais inteligentes do mercado, e essa aquisição deve acelerar seus planos ambiciosos de atingir o patamar de uma Microsoft. Se a transação foi cara ou barata, o tempo dirá, mas o fato de que a Salesforce é uma das fortes candidatas a ser uma empresa de Trilhão de dólares nos próximos 5 anos, e a aquisição do Slack é sem dúvida um grande passo e um acelerador disso, nos dá dica que este foi mais uma jogada de mestre de Benioff.


F=ma