• Felipe Balestrin

Ativos que compõem os principais Índices de Ações dos Estados Unidos

Como discutimos neste artigo, os índices de ações têm uma importante função no acompanhamento dos mercados e economias globais, além do suporte nas tomadas de decisão de investidores através de comparações de rentabilidade. Vamos agora discutir a composição destes índices, os critérios de entrada e de peso, bem como a sobreposição dos ativos nos índices e como interpretar. Nossa análise, claramente, é focada nas tech equities, i.e., as ações das empresas de tecnologia.



Estes são os primeiros 50 ativos de cada índice.

Na coluna Weight (peso), em azul estão as ações que somadas totalizam 80% do peso do índice. São necessárias 38 de 102 empresas no Nasdaq 100 (37,3%), 174 de 505 no S&P 500 (34,5%), e 19 de 30 empresas no Dow Jones (63%).


Apesar de o S&P 500 possuir consideravelmente mais empresas do que o Nasdaq 100 – quase 5x mais – o percentual de empresa necessário para atingir 80% é bastante comparável. Naturalmente que o S&P é mais diversificado, dada a quantidade de ativos, porém podemos dizer que é mais concentrado nas empresas de maior valor de mercado. Já o Dow estaria menos sujeito à volatilidade das suas empresas de maior peso, uma vez que esse peso fica mais bem distribuído em 63%. Obviamente não podemos ignorar o fato do Dow ser concentrado por natureza, dados seus apenas 30 ativos.


As empresas com destaque amarelo estão presentes nos três índices. Elas são: Apple Inc, Microsoft Corp, Intel Corp, Cisco Systems Inc. Seu peso nos índices é, respectivamente: 24,3%, 12,4% e 9,34%. Apesar de obviamente se caracterizarem como empresas de tecnologia, estas empresas estão presentes nos três índices, de certa forma comprometendo a clássica caracterização de Nasdaq como um índice de tecnologia enquanto Dow Jones representaria a indústria.

Note também que uma alta de 10% em Apple e Microsoft traria uma alta de 2,04% no Nasdaq 100, 1,01% no S&P 500 e 0,70% no Dow Jones. Assim, podemos entender que uma alta nas duas maiores empresas de tecnologia (por Market cap) trará uma alta para todos os índices, não apenas para o Nasdaq 100.

As empresas com destaque laranja estão presentes no Nasdaq 100 e nos primeiros 50 ativos do S&P 500, porém não estão no Dow Jones. Como o S&P 500 comporta as empresas de maior valor de mercado dos Estados Unidos – segundo os critérios que já observamos – a grande maioria das empresas do Nasdaq 100 estão também no “top 50” do S&P 500 por seu valor de mercado, indicando correlação entre as movimentações de alta e baixa dos índices. Por isso, é comum pouca diferença entre estes dois índices na movimentação diária, com maior volatilidade no Nasdaq 100, 29,0% do peso do S&P.

Outro ponto interessante é que podemos encontrar nos 50 ativos do Nasdaq 100 as empresas JD.com Inc, Baidu Inc e Pinduoduo Inc através de suas ADR’s – American Depository Receipts. Este é um ativo que representa uma ou mais ações de uma empresa estrangeira, permitindo ao acionista americano uma exposição a ativos de fora sem tirar dinheiro do país. O que você não vê no S&P 500, dados seus critérios de entrada no índice.

As empresas com destaque verde são empresas de tecnologia presentes no Dow Jones e no S&P 500, porém não no Nasdaq 100. Elas são Walt Disney Company, Salesforce.com inc. e IBM, pesando respectivamente 2,0% e 10,73%.


Assim como Disney, IBM e Salesforce.com são importantes empresas de tecnologia listadas na NYSE e, por conta disso, não compõem o Nasdaq 100. Salesfoce.com é provavelmente o mais icônico nome das empresas SaaS (Software as a Service), referência no modelo de negócios e exímia na estratégia de M&A. Sua entrada no Dow Jones em 2020 chamou bastante atenção do mercado, substituindo Exxon. O movimento é perfeitamente compreensivo do ponto de vista de momentum e relevância do modelo de negócios, mas é uma chamada de atenção para revisarmos nossos paradigmas de Dow Jones como industrial e Nasdaq como tecnologia de forma simplória.


Quanto às composições atualizações dos índices, Nasdaq 100 é atualizada anualmente em dezembro. Sua composição é base para o ETF “QQQ”. Já S&P 500 é atualizado cada trimestre, sempre na terceira sexta-feira de março, junho, setembro e dezembro. Sua composição é base para o ETF “SPY”.


Diferentemente, o Dow Jones Industrial Average não tem uma regra rígida para atualização. Porém, historicamente foi atualizado a cada 2 anos, tendo sido atualizado 60 vezes desde 1928, quando se tornou o índice de 30 ações que conhecemos hoje. Atualmente, o “DIA” é um ETF para acompanhar a posição deste índice.

Traremos discussões sobre outros importantes índices e ETF em próximos posts.



F=ma