• Felipe Balestrin

Bitcoin, Blockchain e ações de tecnologia

Atualizado: 9 de fev.

No Newton Tech Fund, somos 100% ligados em tecnologia. Em especial, na maneira como muda a forma com que as pessoas se relacionam. A tecnologia nem sempre tem a mesma cara e aquilo que hoje é comum para nós, já foi estranho – talvez inimaginável – para a maioria das pessoas no passado.


Uma das recentes tecnologias que está demonstrando uma grande capacidade de transformação nas relações, mas que ainda não é tão compreendida é a Blockchain. Há extensos conteúdos descrevendo seu funcionamento no aspecto técnico, por isso vamos focar no outro lado: as relações humanas e os investimentos. *


A Blockchain é um banco de dados que se replica em cada computador ligado em sua rede, com isso, possui duas principais características: 1) Ela é tão segura quanto o tamanho da comunidade ao seu redor, chegando ao ponto de ser praticamente impossível ser hackeada; ao passo que 2) ela é cem por cento pública, tanto agora, como em todo o seu histórico. Você, eu e qualquer um podemos agora baixar todo o histórico – que é o próprio Blockchain – e olhar para cada registro já feito nele.


Mas o que são estes registros? Virtualmente qualquer coisa pode ser registrada em uma Blockchain, de forma a deixar uma marca histórica praticamente imutável: essencial para viabilizar as criptomoedas; mas também registrar a posse única de qualquer ativo digital, possibilitando os NFTs**; até mesmo – para os mais românticos – o texto de uma declaração de amor, então registrada “para sempre” em uma Blockchain.


O Blockchain de uma criptomoeda permite duas pessoas fazerem uma transação financeira segura sem uma terceira parte aprovando.


E quanto aos investimentos? Temos dois ângulos para observar: criptoativos como alternativa de diversificação; e empresas atuando ou se posicionando em criptomoedas. Vamos focar em Bitcoins, para que caiba neste artigo.


Primeiro sobre Bitcoin. O Bitcoin tem a maior Blockchain (mais computadores conectados), desta forma é a criptomoeda mais segura para proteger seu poder de compra. Também, tem o maior market cap, com aproximados 880 milhões de dólares em valor de mercado, o que deve levar a ter uma menor volatilidade quando comparado com outras moedas digitais.

ETH é o Ethereum, a segunda criptomoeda em valor de mercado e com maior volatilidade.


Não temos qualquer pretensão de recomendar investimentos em criptomoedas, uma vez que o mandato e especialidade da equipe do Newton Tech Fund é analisar empresas com base tecnológica através de conceitos de Venture Capital e Equity Research. Porém, cientes do interesse que o tópico “criptomoedas” desperta hoje em boa parte dos investidores, podemos chamar a atenção para empresas sólidas que compõem o portfólio do Newton e que – de uma maneira ou outra – tem exposição a criptomoedas. Ou seja, seria ter alguma exposição indireta a esta classe de ativos, mitigando o risco.


  • Tesla – Elon Musk (CEO) certamente não foi o primeiro grande executivo do mundo corporativo a promover o Bitcoin, porém não há como negar a notoriedade dos seus anúncios, não apenas da aquisição de USD 1,5 bilhão no começo de 2021 como estratégia de investimento e diversificação do caixa da Tesla, como também que a montadora passaria a aceitar o Bitcoin como forma de pagamento para aquisição dos seus veículos. Obviamente que tais afirmações impulsionaram tanto o valor do Bitcoin, como das ações da Tesla. Algumas semanas depois, porém, Musk voltou atrás dizendo que a Tesla passaria a aceitar a criptomoeda como forma de pagamento somente quando o processo de mineração e transação do Bitcoin utilizar – ao menos – 50% de fontes de energia renováveis, o que pode demorar bastante tempo. Mais uma vez, houve impacto na cotação das criptomoedas e ação da Tesla, desta vez, para baixo.


  • Paypal – a fintech de pagamentos anunciou no começo do ano que seus usuários nos EUA já podem transacionar com algumas criptomoedas (tais como Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash, e Litecoin), serviço este recentemente estendido aos clientes no Reino Unido.


  • Microsoft – como uma das maiores empresas de software no mundo, a Microsoft já aceita o Bitcoin como forma de pagamento para vários serviços, incluindo Xbox Live e Skype. Além disso, através da utilização da Blockchain do Bitcoin, a empresa lançou o ION, uma plataforma de autenticação na rede que cria IDs digitais para autenticação de identidades online.


  • Square – Jack Dorsey (CEO) anunciou o investimento de USD 220 milhões do caixa da Square como estratégia de investimento e diversificação no começo de 2021. Mais recentemente, Dorsey também anunciou a intenção de construir uma exchange (corretora) totalmente descentralizada e aberta, construída em torno de Bitcoin, com o objetivo de fornecer aos usuários uma ampla gama de pares de moedas fiduciárias com o Bitcoin.


  • Apple – a empresa anunciou em junho de 2021 um acordo com a Coinbase através do qual usuários do Apple Pay que tenham cartões de débito e crédito da Coinbase podem fazer pagamentos em criptomoeda.


  • Google – O Google também anunciou esta mesma parceria com pagamentos possíveis através do Google Pay.


Outras empresas também têm se mostrado atentas à possibilidade de explorar o universo das criptomoedas, com ênfase para a Amazon e Facebook, que aparentemente vem analisando desenvolver suas próprias criptomoedas, como também o Mercado Livre, que timidamente já comprou USD 7,8 milhões em Cripto no último trimestre.


Enfim, ao que tudo indica, Criptomoedas farão cada vez mais parte do dia a dia das corporações e pessoas, possivelmente afetando as cotações das empresas que tenham exposição a esta classe de ativos. Vamos acompanhar atentamente, monitorando o impacto que isso pode trazer ao nosso portfólio. Por ora, somos entusiastas.


*Para os fins deste artigo, vamos dar enfoque na Blockchain das principais criptomoedas, que têm as características abaixo. Não vamos falar de aplicações de Blockchain em empresas privadas, tão pouco de criptoativos com outra natureza de tecnologia.


**NFTs – Non-fungible tokens, ou token não fungível (não replicável), não são criptomoedas, mas outros ativos digitais. A maneira mais simples de explicar é relacionar com uma obra de arte ou um vinho de colecionador, que pode ter um valor subjetivo, mas também um mercado ao redor.


F=ma