• Alexandre Constantini

Don’t Try to Catch a Falling Knife

Atualizado: 9 de fev.

O momento é de extrema turbulência para as ações do setor de tecnologia ao redor do globo. Uma possível correção já vinha sendo alardeada por boa parte dos estrategistas de equities dos maiores bancos e fundos de Wall Street desde meados de 2021. Tal correção poderia ocorrer em função de um movimento de realização de lucros, após longos meses de alta acumulada do Nasdaq e S&P500, mas principalmente pela rotação de carteiras trocando as Big Techs (Growth stocks) pelas ações com maior grau de maturidade e previsibilidade de geração de caixa (Value stocks) num momento em que os Bancos Centrais ao redor do planeta (com exceção da China) estão num processo de aumento de suas taxas de juros como forma de combater a inflação. Com juros mais altos, cresce também a taxa de desconto no valuation correto de empresas mais alavancadas e mais dependentes de financiamentos futuros necessários à sua expansão.


E um movimento de realização de lucros, na magnitude do que estamos vendo agora, é um verdadeiro tsunami, que em muitos casos, beira até a irracionalidade. É um efeito manada que faz com que ações com sólidos fundamentos desabem 20% num único pregão. Em vários casos, a perda chega a 50% em poucas semanas. Foi assim que se iniciou 2022 para uma gama de fundos de tecnologia, varrendo os ganhos acumulados ao longo de 2021.


Como uma tentativa de mitigar o risco neste período de turbulência, iniciamos 2022 aumentando nossas posições nas FAAMGs (em tese, mais seguras e menos voláteis), que passaram a responder por cerca de 55% de nossa carteira (vs 45% anteriormente).


Como podemos ver nos gráficos abaixo, o múltiplo médio de EV/Revenues das FAAMGs permanece em constante expansão, apesar da correção recente nos preços dos ativos, mostrando que o mercado continua confortável em pagar por esta expansão. Por outro lado, ao excluirmos as FAAMGs, é evidente a retração do múltiplo para as demais empresas, já voltando a patamares pré-pandemia.


Ou seja, empresas excelentes e vencedoras (tais como Shopify, Paypal, Square, Mercado Livre, somente para citar algumas), que cresceram cavalarmente nos últimos 2 anos, negociam neste momento nos múltiplos de quando eram empresas bem menores que hoje, descontando integralmente todo o crescimento dos anos de pandemia. É a distorção do momento que vivemos, e isso vai passar, com tais distorções sendo rapidamente corrigidas tão logo o tsunami passe. Afinal, o ecossistema criado por empresas como Shopify, Paypal, Square, Mercado Livre continua em franca expansão e veio para ficar. Shopify, por exemplo, anunciou na semana passada um acordo operacional com a gigante chinesa JD.com, que dará aos seus clientes exposição a mais de 550 milhões de consumidores chineses. Tal notícia extremamente positiva foi absolutamente ignorada pelo mercado, com Shopify amargando perdas de quase 20% na semana. Analistas vão incorporar tais premissas em seus modelos, e o impacto no valuation deve ser positivo. E isso também é verdade com Paypal (que anunciou parcerias com Amazon e fez aquisições na China recentemente), com Mercado Livre (que anunciou aquisições na área de criptomoedas), e várias outras empresas que continuam entregando resultados excelentes num momento de mau humor do mercado.


Como gestores, reiteramos a necessidade de manter a tranquilidade e evidenciamos o porquê do horizonte de longo prazo ao investir em ações. Temos plena convicção que a tempestade vai passar, e muitas destas ações vão voltar forte. A questão é macro, não micro. Os fundamentos das empresas que compõem o portfólio do Newton Tech Fund permanecem intactos, robustos, e nos dão confiança de um futuro brilhante, apesar destes percalços ao longo do caminho. Vivemos o momento daquele famoso jargão do mercado: “Don´t try to catch a falling knife”. Na verdade, se tem algo para ser feito agora, é aumentar a posição nas empresas vencedoras que negociam a múltiplos atraentes.




F=ma